Que tipos de filtros são recomendados para aquários?

Configure o filtro do aquárioCom os seus efeitos únicos e mágicos, os aquários encantam-nos e permitem-nos criar um mundo subaquático digno de um sonho. Com o metabolismo dos peixes e plantas, assim como os resíduos alimentares, etc. acumulam-se rapidamente muitos resíduos no aquário que têm de ser reciclados.

Além de ter um impacto na visibilidade, estes resíduos afetam a imagem, mas também têm uma influência negativa nos valores de água, podendo até no pior cenário acumular-se material venenoso. Estes materiais venenosos podem levar à morte dos habitantes num cenário a curto ou longo prazo. Por esse motivo, além de ser importante mudar a água regularmente, também é necessário que esteja constantemente a ser filtrada. Este artigo vai apresentar-lhe os diferentes tipos de filtros e o quão importante este equipamento técnico é para o funcionamento do aquário.

Função de um filtro de aquário

Como é percetível pelo nome, a função de um filtro de aquário é manter a água limpa, filtrando todo o lixo. Não importa se são resíduos de plantas ou fezes de peixe, um filtro de aquário selecionado para se adequar ao aquário, mantem a água limpa e os valores estáveis. No entanto, existem diferentes tipos de filtros, que filtram a água de formas diferentes.

Além de filtrar, a maioria dos filtros de aquário também põe a água em movimento, sugando a água e expelindo água filtrada. Isto também é importante, já que muitos peixes e plantas precisam de um fluxo de água natural. Alguns filtros até têm uma configuração para a força do fluxo, para que esteja customizado aos habitantes do aquário.

Além dos filtros, as plantas também são responsáveis por neutralizar substâncias venenosas da água, por isso deve haver sempre plantas suficientes num aquário. Apenas desta forma é possível manter o equilíbrio biológico.

Que tipo de filtro se adequa a cada tipo de aquário?

Filtro de aquarioJá que existem tantas possibilidades diferentes de filtros, não é fácil optar por um. Por isso deve-se informar sobre as várias possibilidades. Ao escolher um filtro de aquário novo, deve ter em consideração vários critérios. Por um lado, o material que compõe o filtro é importante e tem de ser adequado às necessidades dos seus peixes. Por outro lado, alguns sistemas de filtragens apenas se adequam a aquários de certas dimensões ou designs. Assim, nenhum filtro pequeno para aquários de um volume de apenas 100 litros deve ser usado num tanque grande com um volume de 800 litros. O volume do aquário tem de se adequar sempre ao volume do filtro. Que tipos de filtros existem? Existem diferentes tipos de filtros, todos com o mesmo propósito: filtrar a água do aquário de forma fiável.

Filtro mecânico

Um filtro mecânico filtra os resíduos grossos e finos da água de um aquário, sendo adequado como um pré-filtro ou como sistema de filtragem completo. Todos os modelos são bons pela facilidade em mudar o material de filtragem, instalar e remover. Num tanque de água doce, o caudal mínimo deve ser o quádruplo do volume de água.

Num tanque de água salgada deve ser pelo menos dez vezes maior. Por esse motivo, muitos entusiastas de peixes trocam o substrato de filtro todas as semanas, o que leva à impossibilidade do filtro mecânico ser usado como filtro biológico, pelas bactérias importantes destruídas ao limpá-lo. Um tipo de filtro mecânico excelente é um filtro com motor interno, do qual existem vários tipos diferentes.

Filtro seco-húmido

Os filtros seco-húmido são muito raros. Funcionam de uma forma chamada “super-aeróbia”. Desta forma, a água é aplicada ao material de filtragem, que está em contacto com ar e é direcionada para um tanque separado. Deste tanque é bombeada novamente para o aquário. Os filtros seco-húmido apenas funcionam eficazmente se fluírem através deles pelo menos 4000 litros de água por hora, o que raramente se verifica.

Filtros anaeróbios

Um filtro anaeróbio é um bom método de filtragem biológico. Este filtro funciona sem oxigénio. Num modelo destes, o material de filtragem tem de estar rodeado de água baixa em oxigénio, o que apenas é possível com um fluxo de água lento. Se a água fluir muito devagar, o oxigénio desaparece completamente após apenas alguns centímetros na camada filtrante. Em contraste com outros modelos de filtro, apenas o nitrato é decomposto, por isso as proteínas, etc. não podem ser alteradas para nitrato e decompostas depois. Por esse motivo, estes filtros apenas podem ser usados em conjunto com outro filtro, não sendo adequados para utilização individual.

Filtros biológicos

Com estes filtros únicos, as bactérias que vivem dentro do filtro são responsáveis por limpar a água. Milhões de pequenos organismos, bactérias, amebas e ciliados vivem nestes filtros e alimentam-se do material orgânico dentro da água. Este material orgânico é removido ou reformulado de forma a poder ser adicionado novamente à água. As bactérias e os outros organismos podem ser vistos no material do filtro como lama castanha. Por isso é importante não os lavar, uma vez que ajudam o aquário, existe fluxo de água suficiente através do filtro e não o blocam. As proteínas, gorduras e hidratos de carbono, todos parte da água do aquário, são a fonte de alimento principal destes microrganismos, sendo decompostos em nitrato e dióxido de carbono. O filtro biológico é adequado para qualquer tipo de aquário.

Filtro externo

Este filtro é instalado fora do aquário e não afeta o visual. A água é transportada para o filtro através de tubos, frequentemente disponíveis em diferentes tamanhos. O filtro normalmente está no móvel do aquário. A água flui através do filtro, normalmente com vários materiais de filtragem e é filtrada. O material do filtro deve ser escolhido consoante os habitantes do aquário. Depois de limpar a água é bombeada de volta para o aquário, o que movimenta a água do aquário. Os filtros exteriores são ótimos porque não ocupam espaço dentro do tanque e por não afetarem o visual do aquário.

Filtro interno

Tal como existem filtros externos, existem também filtros internos. Estes aparelhos sugam a água, limpam-na passando-a através do material de filtragem escolhido e devolvem-na. Os filtros interiores têm a vantagem de não precisarem de tubos, poderem ser usados para criar fluxos de água e estarem disponíveis em vários tamanhos. Alguns modelos apenas funcionam como filtros aeróbios, mas também existem modelos que filtram uma parte da água anaerobiamente e outra aerobicamente. Têm a desvantagem de ocupar algum espaço dentro do tanque e de terem de ser retirados do tanque cada vez que os limpa.

Conclusão

Independentemente do tipo de filtro que escolha, é importante que tenha um tamanho adequado. É preferível escolher um modelo um bocado maior e limpa mais água, que o que não consegue acompanhar a quantidade de água que o seu aquário tem. Adicionalmente, é importante cumprir os requisitos do filtro para que não avarie facilmente, dure muito tempo e mantenha a água do seu aquário sempre limpa com fiabilidade.

© FamVeld – shutterstock.com / © FamVeld – shutterstock.com